Início

O primeiro cliente

O desafio de conquistar a confiança do mercado e assinar o primeiro contrato

“Os primeiros meses foram difíceis, e as maiores dificuldades eram financeiras. Investíamos em pré-projetos que não eram aprovados e, consequentemente, não eram pagos”, recorda Irena Balwierz, hoje aposentada e consultora da UTC Participações. Como toda empresa nova, havia grande expectativa pelo primeiro contrato. O problema era que as propostas serviam apenas para balizar os preços da concorrência.

O incremento da atividade industrial a partir de 1960 – principalmente com a criação da Petroquisa, subsidiária da Petrobras – possibilitou acelerado desenvolvimento em montagem industrial na década seguinte. Mas as empresas que se beneficiavam desse contexto eram as que já haviam se familiarizado com o mercado e a concorrência. Por isso, apesar de a UTC pertencer a um importante grupo investidor, a fase de visitas a potenciais clientes foi marcada por incertezas. Tratava-se de uma empresa desconhecida e criada há pouco tempo, o que provocava uma natural desconfiança. “A alternativa era ficarmos atentos a possíveis clientes e às mínimas informações sobre projetos e obras. Era preciso recorrer a nomes, pessoas ligadas a grandes empreendimentos”, enumera Irena.

Um poste

Representantes da empresa também participavam de reuniões na Associação Brasileira de Engenharia Industrial (Abemi), em busca de contatos e troca de informações. No escritório da UTC, na avenida Brigadeiro Luís Antônio, a produção de estudos e listagens de itens davam conta dos equipamentos básicos para o início das montagens.

O primeiro serviço externo foi prestado ainda em 1974 e não resultou de um grande contrato. “Mas até hoje nos lembramos com carinho daquela obra. Foi uma conquista muito comemorada”, relembra Rocha.

Tratava-se da instalação provisória da alimentação de energia em um canteiro de obras em Pirituba, São Paulo, para a construtora Hoffmann Bosworth Engenharia S.A. “Em resumo, fizemos a instalação de um poste. Um trabalho simples, mas que significou muito para todos”, ele ressalta. O contrato incluiu a execução de interligações elétricas no canteiro da construtora. Comemorado como grande conquista, seria o primeiro de uma série de novos desafios.

Irena resume o sentimento compartilhado. “Chega a ser engraçado que estivéssemos diante de um serviço tão simples. Como poderíamos imaginar que, seis anos depois, seríamos contratados em consórcio para participar da montagem da Usina Hidrelétrica de Itaipu, na época a maior obra em execução no país?” De um poste de energia para a energia que correria por milhares de postes.

Veja también < >

Fundação

Como tudo começou

O espírito empreendedor que levou os funcionários  de uma empresa a criarem seu próprio negócio

Onshore

Em terra firme

A atuação onshore e a diversificação dos negócios foram essenciais para o crescimento da empresa.

Offshore

Engenheiros do mar

Um período marcado pelo domínio das atividades offshore e por um contexto econômico favorável

Energia

Novos ventos, nova direção

Investimentos em energia renovável e um novo contexto econômico mudaram o curso da empresa e de seus integrantes

Adversidades

Década de turbulências

Os anos 1990 foram os mais difíceis. Entretanto, renderam aprendizados e decisões corajosas

Superação

Século novo,
novas perspectivas

O início dos anos 2000 foi marcado pela retomada do crescimento mediante a um reposicionamento da empresa no mercado

Perspectivas

Visão de futuro

A UTC transformou-se em uma holding com atuação diversificada  e metas de curto e longo prazo

Gente

Orgulho em pertencer

Para os profissionais que fazem parte dos 40 anos de história da UTC,  a motivação e a sensação de pertencimento são constantes