Gente

Orgulho em pertencer

Para os profissionais que fazem parte dos 40 anos de história da UTC, a motivação e a sensação de pertencimento são constantes

Um anúncio de jornal fez que Marino Leite conhecesse a UTC Engenharia. A empresa estava contratando, e ele precisava de um emprego. Em abril de 1978, firmaram uma parceria que dura quase quatro décadas. Nesse período, a UTC passou a ser uma das maiores empresas de engenharia industrial do país, e Marino ganhou uma profissão. Tornou-se Técnico de Tubulação e, atualmente, trabalha no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). “A UTC é como se fosse uma extensão da minha família.”

José Eudo compartilha da mesma sensação. Aos 60 anos, pretende trabalhar mais 15 e só então se aposentar. O sonho de comprar um apartamento próprio, aliado à satisfação de trabalhar ao lado de bons profissionais, impulsiona o Técnico de Tubulação e Caldeiraria. “A rotina na empresa é prazerosa, e eu faço o que gosto.”

Sentimentos assim são partilhados pelos mais de 17 mil profissionais de uma empresa conhecida por sua consideração e respeito ao colaborador. No ano passado, a UTC Engenharia foi eleita pela revista Você S/A uma das 150 melhores organizações para se trabalhar no país, identificando as empresas com melhores práticas na Gestão de Pessoas.

“A UTC sempre procura profissionais dentro do seu próprio quadro para preencher novas vagas que surgem. Ou seja, abrem-se possibilidades de crescimento para os próprios integrantes”, avalia o Diretor Técnico Corporativo Ricardo Lara, há 21 anos na empresa. “Isso cria uma enorme motivação para os que buscam desenvolvimento pessoal e profissional.”

Iniciativa responsável

A política de valorização dos colaboradores vai muito além do usual plano de cargos e salários. Os profissionais são incentivados a assumir responsabilidades, para que se transformem em líderes no futuro. Na UTC há 28 anos, o engenheiro Eduardo Leite que o diga. Ele é Gerente Geral de Planejamento do Consórcio TUC Construções, responsável pelas obras no Comperj, e orienta-se por essa diretriz. “A distância entre líder e liderado é muito pequena. A delegação com responsabilidade é o ponto forte da empresa.”

Uma consequência dessa postura é que os clientes têm suas demandas atendidas de forma mais ágil, como explica Mauro Cruz. “Possuímos uma gestão descentralizada, por meio da qual as decisões realmente estão na ponta. Isso dá uma agilidade na resposta ao cliente”, ressalta. “Outro diferencial é ter uma equipe qualificada, o que garante ao projeto ser cumprido no prazo e com a qualidade requerida.”

Líder Operacional do Departamento de Equipamentos, Glariston Pereira, 21 anos de empresa, acredita que o reconhecimento da UTC vem justamente da liberdade oferecida e da confiança depositada. “Aqui eu posso implementar ideias novas, sempre procurando fazer mais com menos”, acredita. “Além disso, interajo com todos os níveis hierárquicos, tanto no Escritório Central, em São Paulo, como em todos os contratos.”

Especialização

Em cada empreendimento em que atua, a UTC busca promover o desenvolvimento local, valorizando a força de trabalho da região, por meio de cursos de qualificação profissional. Fernando Monteiro, Diretor de Suporte Corporativo, salienta que a ideia é manter projetos sociais de geração de renda que se distanciem do caráter eminentemente assistencialista.

Para garantir que seus profissionais possam se autodesenvolver, a UTC incentiva e viabiliza a sua participação em cursos de especialização em diversos níveis, como MBAs em Gestão Estratégica de Projetos, Engenharia e Segurança do Trabalho, Gestão Empresarial e Direito da Economia, entre outros cursos. Também mantém um programa voltado a trainees, que seleciona, anualmente, 30 jovens entre 21 e 25 anos.

Futuro promissor

Walter Asevedo, Líder Operacional na Gerdau Ouro Branco, em Minas Gerais, deseja continuar crescendo junto com a empresa. Ele entrou na UTC em 2002, como Engenheiro Júnior, e se sente perfeitamente integrado às equipes. “Eu me sinto um acionista”, brinca. “Tenho grande orgulho e muita admiração pela organização. Meu desejo é continuar aqui, me aprimorando como profissional e como ser humano.”

Essa sensação de satisfação profissional está presente em todos os níveis hierárquicos. José Benedito Angélica e Silva é um dos integrantes mais famosos da Base Macaé, no Rio de Janeiro, e compartilha do mesmo sentimento de Walter. Zé 10, como é mais conhecido, trabalha há 14 anos na empresa como Técnico em Pintura. “Quando comecei aqui, não existia nem a metade do número de colaboradores e recursos de hoje.”

“Do que mais gosto é que todos são tratados de forma igual, independentemente do nível hierárquico. Por isso tudo, vejo na empresa um futuro promissor.” Zé 10 pretende realizar uma prova para se tornar inspetor de pintura e garantir mais estabilidade financeira. Assim como a UTC, ele sabe que sempre é possível dar um passo adiante.

“A UTC sempre procura profissionais dentro do seu próprio quadro para preencher novas vagas que surgem. Ou seja, abrem-se possibilidades de crescimento para os próprios integrantes”, avalia o Diretor Técnico Corporativo Ricardo Lara, há 21 anos na empresa. “Isso cria uma enorme motivação para os que buscam desenvolvimento pessoal
e profissional.”

Veja también < >

Fundação

Como tudo começou

O espírito empreendedor que levou os funcionários  de uma empresa a criarem seu próprio negócio

Início

O primeiro cliente

O desafio de conquistar a confiança do mercado e assinar o primeiro contrato

Onshore

Em terra firme

A atuação onshore e a diversificação dos negócios foram essenciais para o crescimento da empresa.

Offshore

Engenheiros do mar

Um período marcado pelo domínio das atividades offshore e por um contexto econômico favorável

Energia

Novos ventos, nova direção

Investimentos em energia renovável e um novo contexto econômico mudaram o curso da empresa e de seus integrantes

Adversidades

Década de turbulências

Os anos 1990 foram os mais difíceis. Entretanto, renderam aprendizados e decisões corajosas

Superação

Século novo,
novas perspectivas

O início dos anos 2000 foi marcado pela retomada do crescimento mediante a um reposicionamento da empresa no mercado

Perspectivas

Visão de futuro

A UTC transformou-se em uma holding com atuação diversificada  e metas de curto e longo prazo